Domingo, 29 de Abril de 2007

Entrevista: Gracindo Junior!

Gracindo Jr., o Nicanor de Luz do Sol, não nega a influência paterna em sua carreira. Mesmo que, no princípio, de forma controversa. Aos 15 anos, Gracindo Jr. entrou para a Rádio Nacional contra a vontade do pai. "Fiz o teste para a rádio escondido", confessa. Do rádio, foi actuar em teatro, uma paixão em comum, tevê, e, por fim, no cinema. Actualmente, um Gracindo Jr. cada vez mais parecido fisicamente com o pai divide seu tempo entre a novela e o documentário que está realizando sobre Paulo Gracindo. "Uma história que deve ser vista por quem está começando agora. É a coisa mais importante da minha vida no momento", declara.

img91/4555/luzdosolf022yy1.jpg

 

P - Luz do Sol, assim como Cidadão Brasileiro, foi dirigida por Ivan Zettel. Como recebeu o convite para interpretar o Nicanor?
R - Foi um reencontro. A proposta da Record veio em um bom momento, porque um contrato de três anos na televisão me dá a possibilidade de ter tranqüilidade para fazer o filme sobre meu pai. Se estivesse envolvido com teatro, seria bem mais complicado. No entanto, fiquei em dúvida quanto ao papel de Nicanor, porque o Nestor, meu personagem em Cidadão Brasileiro, e ele tinham muitos pontos de contato. Ambos são patriarcas, com histórias de vida parecidas. Mas o Nicanor tem um outro lado, ele é um avô com jeito de garotão.

P - Você começou a actuar aos 15 anos, no rádio. Como foi o início da carreira?
R - Quando terminei o Ensino Fundamental, fui à Europa com um grupo de amigos. Na volta, resolvi que queria trabalhar. Então fiz um teste para rádio-actor e entrei na Rádio Nacional em 1958. Dois anos depois, saí de casa. Meu pai foi contra, queria que eu estudasse, fizesse faculdade. Era a época de ouro do rádio, o auge da comunicação no Brasil. Toda a intelectualidade do país estava lá. Depois do rádio, vem o teatro, no qual eu comecei a produzir também. Para a televisão e o cinema foi um pulo. Lá se vão 49 anos de trabalho.

P - Você já actuou em mais de 20 novelas, além de minisséries e dos trabalhos como diretor de tevê. De que forma encara esse veículo?
R - É necessário compreender em que sistema se está. Não posso esperar da televisão nada além do que eu sei que ela vai me dar. Uma novela é para ser feita de uma determinada maneira, com um determinado padrão. Não se pode exigir de um actor de novela que ele tenha uma actuação igual a de um actor que se preparou por três meses para uma peça de teatro. Costumo dizer que a gente aprende no teatro para usar na tevê. Não há tempo de aprender em televisão, tem que contar a história muito rápido.

P - De 2004 a 2006, você ficou fora das novelas, dedicando-se ao cinema e ao teatro. Nessa época, disse que o teatro te dá mais possibilidades. Logo depois, emendou duas novelas. Você mantém essa posição?
R - Nesses dois anos, fiz três filmes e dirigi duas peças, Três Homens Baixos e O Último Bolero, que ainda está em cartaz. Uma vez por ano, dirijo ou actuo em algum espetáculo. O que alimentou meus filhos foi o teatro, até porque abri um leque de opções. Comecei como actor, logo depois produzi e dirigi teatro. Teatro é algo mais artesanal, é possível fabricar seu próprio trabalho. Tevê e cinema fazem parte de um sistema.

P - Existe um consenso no Brasil de que o teatro não dá dinheiro. Você concorda?
R - Até os anos 70, o actor era visto como um operário. Tinha três empregos para conseguir um montante que desse para sobreviver. Não existia essa riqueza entre os actores. Isso veio bem mais tarde, na década de 90. É quando descobriram o actor de televisão como um produto. O actor jovem, principalmente, é vendável, na publicidade, na televisão. Há trinta anos, eu vivia bem com o teatro porque o meu padrão de exigência era muito menor. Se eu conseguia pagar o colégio dos meus filhos e o aluguel, era suficiente. Hoje, há um aumento da expectativa em relação à profissão.

fonte: Terra

publicado por . às 18:23
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Último Post: Despedida à ...

. Entrevista: Leonardo Bríc...

. Aniversário de Ana Maria ...

. Caio Blat e Maria Ribeiro...

. João Vitti faz hoje 40 an...

. Fotos de Luma Costa!

. Perfil: Luma Costa!

. Entrevista: Luma Costa!

. Record estica Luz do Sol ...

. Eduardo Pires!

.arquivos

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

.links

.Votações

O que achas da novela, Luz do Sol?
Muito Boa
Boa
Razoavel

Muito Má
Não Sei/Nunca Vi

Qual o teu actor favorito de Luz do Sol?
Petrônio Gontijo
Giuseppe Oristiano
Floriano Peixoto
Leonardo Brício
Gracindo Junior
Thiago Gagliasso
Guga Coelho
Bruno Ferrari
Eduardo Pires
Outro. Qual?

Qual a tua actriz favorita de Luz do Sol?
Patricia França
Luiza Thomé
Paloma Duarte
Juliana Silveira
Maria Ribeiro
Luma Costa
Outra. Qual?



















Link-me!


.Aniversários

Patrícia França - 28/09
Petrônio Gontijo - 5/07
Luiza Thomé - 10/05
Paloma Duarte - 21/03
Leonardo Bricio - 7/07
Maria Ribeiro - 9/11
Juliana Silveira - 12/03
Floriano Peixoto - 10/12
Eduardo Pires - 9/07
Giuseppe Oristanio - 15/10
Luma Costa - 5/07
Bruno Ferrari - 20/04
blogs SAPO